OECD monitora pesquisas de covid-19 na Alemanha e no mundo

© Designed by Kjpargeter/Freepik

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), da qual a Alemanha faz parte, elaborou um dossiê sobre a coordenação de pesquisa, fabricação e acesso a medicamentos e vacinas contra o novo coronavírus. O principal objetivo do monitoramento é a concepção de políticas e medidas para garantir o acesso universal e equitativo dessas vacinas e medicamentos.

O relatório fornece uma visão geral de diversos projetos de pesquisa sobre o tema na Alemanha e em outros países, além de reforçar a necessidade de cooperação internacional.

Segundo a organização, uma das prioridades é incentivar a rápida conclusão dos projetos de P&D mais promissores da área e garantir que eles tenham continuidade após a superação pandemia. Ela ainda destaca que a construção de uma estrutura para produção em larga escala desses medicamentos e vacinas, antes mesmo das conclusões dos estudos, é essencial. Além disso, outra necessidade primordial é a definição de regras para os direitos de propriedade intelectual e de vendas, de forma a garantir a acessibilidade equitativa. O dossiê completo da OECD pode ser encontrado clicando aqui.

Apesar de monitorar diversas pesquisas que estão sendo realizadas no mundo todo, o relatório não contempla todas iniciativas. A busca pela identificação de um composto capaz de tratar a infecção por SARS-CoV-2 com menos efeitos colaterais para os pacientes é um exemplo de pesquisa não citada. Ela está sendo desenvolvida pela Universidade de Tübingen na Alemanha e a Universidade do Vale do Taquari (Univates). Já a Universidade Técnica de Munique (TUM) divulgou novo método de raio-x para o diagnóstico da covid-19. Outro exemplo de tentativa de monitoramento da pandemia é o modelo estatístico da Universidade de Potsdam (UP), na Alemanha, criado para acompanhar o avanço da doença em âmbito regional.

Além do relatório, a organização dedicou uma aba em seu site especialmente para o tema coronavírus, onde é possível se informar sobre os principais impactos da pandemia, as medidas tomadas por governos e as perspectivas mundiais. Segundo a organização, a região da América Latina precisa garantir que mais recursos serão destinados para saúde, já que foi uma das regiões mais atingidas pelo coronavírus. A OECD vê ainda a crise como uma oportunidade para melhorar o acesso ao saneamento básico e ao sistema de saúde da região.

Artigos da OECD sobre os temas citados e outras informações podem ser acessados no link: http://www.oecd.org/coronavirus/pt/