Por um futuro mais justo e sustentável

© Filipe Resmini/ Unsplash

Michael Rosenauer, diretor nacional da GIZ no Brasil, fala sobre cooperação bilateral Brasil-Alemanha e principais projetos da instituição que lidera em entrevista ao DWIH São Paulo.

Transformar o presente e construir um futuro mais justo e sustentável. Este é um dos principais objetivos da agência alemã de cooperação internacional, tradução livre de Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), cooperador recém-ingresso ao DWIH São Paulo.

“A Cooperação Brasil-Alemanha, em conjunto com seus parceiros, está de norte a sul do país [Brasil], seja no campo ou nas grandes cidades; apoiando pequenos produtores ou formando jovens para as profissões do futuro”, destaca o diretor nacional da instituição, Michael Rosenauer.

Na entrevista, abaixo, Rosenauer fala sobre a cooperação bilateral entre os dois países, que já perdura por mais de 60 anos, e ressalta os principais temas e projetos em que a GIZ atua no Brasil. Confira!

Desde quando a GIZ atua no Brasil e qual é a vantagem estratégica de se tornar agora uma cooperadora do DWIH São Paulo?

A Cooperação Alemã [que se tornaria GIZ no Brasil em 2011] atua no Brasil desde 1962. Em 2022, portanto, completaremos 60 anos de cooperação entre os dois países. A experiência técnica acumulada ao longo desses anos nos temas de desenvolvimento sustentável nos confere a expertise necessária para que possamos nos alinhar a ações voltadas à pesquisa e a metodologias inovadoras que agreguem valor às políticas públicas governamentais.

Com a parceria firmada com o DWIH São Paulo, temos a certeza de que vamos aprimorar a sinergia dos temas trabalhados por projetos apoiados pelo DWIH e eventos promovidos pelos projetos da GIZ Brasil. Uma salutar parceria ganha-ganha.

Quais são os principais temas e projetos desenvolvidos pela GIZ no Brasil?

Trabalhamos com um portfólio bastante amplo e variado de temas relacionados às mudanças climáticas e ao desenvolvimento sustentável.

Atuamos, em nome do governo alemão, em iniciativas de desenvolvimento sustentável nas áreas de energias renováveis e eficiência energética; florestas; bioeconomia e economia circular; desenvolvimento urbano; educação profissional; povos tradicionais; regulação fundiária; efeitos das mudanças climáticas, entre outros temas relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Como a cooperação Brasil-Alemanha na área de ciência e inovação pode gerar novos impulsos para uma parceria comercial binacional?

A Cooperação Brasil-Alemanha, em conjunto com seus parceiros, está de norte a sul do país, seja no campo ou nas grandes cidades; apoiando pequenos produtores ou formando jovens para as profissões do futuro; protegendo comunidades tradicionais ou desenvolvendo tecnologia de ponta. O propósito é sempre o mesmo: transformar o presente e construir um futuro mais justo e sustentável.

Nossos comitentes, por meio da GIZ, apoiam seminários, eventos e capacitações, sempre de caráter técnico-acadêmico, desde que correspondam aos interesses de nossos projetos. Não financiamos projetos. Para nós, ciência e inovação caminham juntas e é nosso compromisso fortalecer estas duas frentes para que possamos alcançar nossos objetivos.

Quem são os parceiros estratégicos da GIZ no Brasil?

A GIZ é uma instituição implementadora do governo alemão e, no Brasil, mantém cooperação junto a diversos ministérios, mas também mantém parcerias com estados e municípios.

Como empresa pública alemã, recebemos encargos para executar projetos no Brasil por meio de ministérios alemães como, por exemplo, o Ministério Federal de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ), Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza, Segurança Nuclear e Defesa do Consumidor (BMUV), o Ministério Federal para Assuntos Econômicos e Ação Climática (BMWK) ou a Comissão Europeia, entre outros. Fornecemos apoio técnico a iniciativas em diversos níveis governamentais, bem como a instituições privadas, acadêmicas e da sociedade civil que trabalhem temas associados aos nossos.

A GIZ completou dez anos em 2021, nessa uma década de atuação, quais foram os principais desafios e resultados alcançados pela agência ao redor do mundo?

Como falei, nossas instituições antecessoras atuam no Brasil desde a década de 1960. Em 2011, elas foram incorporadas no que se constituiu a GIZ Brasil que temos hoje.

Tanto no Brasil, como em outras partes do mundo, a GIZ concentra seus esforços em dar suporte técnico a instituições para que possam avançar em campos, como, por exemplo, de energias renováveis, com a adoção de uma matriz energética mais limpa, no combate ao desmatamento, na proteção do clima e na capacitação técnica das pessoas para ajudá-las no uso e implementação de instrumentos mais econômicos, eficientes e eficazes que viabilizem políticas públicas de desenvolvimento sustentável.