9º Diálogo Brasil-Alemanha antecipou os principais debates da COP-26

© Felipe Mairowski

O corte de emissões de gases do efeito estufa foi um dos tópicos de destaque do evento do DWIH São Paulo e da Fapesp como também da COP-26. Vídeos, traduzidos para o português, do evento 9º Diálogo Brasil-Alemanha estão disponíveis no YouTube do DWIH São Paulo.

Em virtude do aquecimento global, eventos climáticos extremos, como secas, inundações e ondas de calor têm sido cada vez mais frequentes. O tópico que está sendo discutido por representantes de aproximadamente 200 países na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, a COP-26, foi o tema principal do 9º Diálogo Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação, este ano sob o título: “Cities and Climate – The Multi-level Governance Challenge”. O evento foi realizado entre os dias 17 e 20 de maio de 2021, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A exemplo da COP-26, especialistas do Brasil e da Alemanha debateram durante o 9º Diálogo Brasil-Alemanha uma agenda sustentável para atenuar adversidades climáticas criadas pela ação humana no planeta. Dentre os tópicos mais relevantes apresentados no evento estavam o corte de emissões de gases do efeito estufa, o papel da sociedade e dos governantes para um mundo mais sustentável, cidades inteligentes e aspectos sociais relacionados ao clima.

Já em maio, durante o evento do DWIH São Paulo, foi apresentado o dado do relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU (IPCC), que mostra que o planeta deve ficar 1,5ºC mais quente do que na era pré-industrial já na década de 2030, dez anos antes do previsto inicialmente.

A informação é um dos nortes para a tomada de decisão de países como EUA, França e Reino Unido de reduzir drasticamente a emissão de carbonos até 2030 para chegar à neutralidade do lançamento de CO2 em 2050, anunciada na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas. A Alemanha já havia tomado essa decisão na Lei Federal de Mudanças Climáticas (Klimaschutzgesetz), conforme debatido no evento do DWIH São Paulo e da Fapesp.

“Não há mais tempo para pesquisas básicas sobre o tema, precisamos agir imediatamente com os dados que já temos para mitigar ou adaptar as cidades contra as mudanças climáticas”, disse Marcos Buckeridge, diretor do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do programa de pesquisa USP Cidades Globais, durante 9º Diálogo. Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação.

Quer saber mais sobre a temática? Veja como foram os debates do 9º Diálogo Brasil-Alemanha, traduzidos recentemente para o português e disponíveis no YouTube do DWIH São Paulo.