Ideia contra desperdício de alimentos ganha FWL Brazil 2020

© Felipe Mairowski

Estudante de engenharia da Universidade Federal do Pará vence concurso alemão que premia ideias transformadoras

Jonas Cunha da Silva, estudante do curso de engenharia de bioprocessos da Universidade Federal do Pará (UFPA), foi eleito o inovador do ano pelo júri do Falling Walls Lab Brazil 2020. A etapa brasileira, que elegeu as ideias mais transformadoras de 2020 no país, foi realizada em um formato digital, na tarde de ontem (17/9), com transmissão ao vivo pelo YouTube, no canal do Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH) São Paulo, instituição promotora do evento no Brasil desde 2013.

A proposta transformadora de Silva foi pensada para diminuir o desperdício na cadeia agrícola e de alimentação. Trata-se de um bioplástico líquido, feito a partir de cascas de frutas que, se passado nos alimentos, funciona como uma película protetora, prolongando a vida útil deles.

Pitch de Jonas Cunha da Silva

Para chegar à decisão do vencedor, o júri, composto por profissionais da área acadêmica, de negócios e jornalismo científico, considerou três critérios: caráter inovador, relevância e impacto da proposta, bem como a capacidade de comunicação dos competidores.

Visivelmente emocionado, o vencedor agradeceu ao júri, aos organizadores do evento e ao time de pesquisadores e professores que trabalham no projeto. Essa é a segunda vez que temos um representante do mundo acadêmico paraense como vencedor de um FWL no Brasil. No ano passado, o então graduando em engenharia civil, Micael da Silva, também da UFPA, venceu a etapa de Fortaleza do concurso. Em 2019, o FWL Brazil contou com duas etapas, uma em Fortaleza e outra em Belo Horizonte.

Mariana Moraes, pesquisadora do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), ficou com a segunda colocação da competição. A solução de Moraes também vem de encontro com questões de sustentabilidade do planeta.

Ela propõe, por meio de simulações computacionais quânticas, o estudo de cada etapa de uma reação enzimática. Esse levantamento orientaria a criação de enzimas com novas funções para serem aplicadas na indústria. A pesquisadora explica que essas enzimas poderiam substituir substâncias químicas altamente tóxicas ao meio ambiente.

Completando o pódio do FWL Brazil, Caroline Trevisan Weber, doutoranda de engenharia química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ficou com a terceira colocação. A solução de Weber também evita o desperdício na cadeia agrícola e alimentícia por meio de um modelo de economia verde, circular e digital.

Vencedores do Falling Walls Lab Brazil

A pesquisadora propôs a criação de pequenas unidades de biorrefinarias automatizadas e monitoradas remotamente. A ideia é que resíduos não utilizados pela agricultura sejam transformados em produtos como etanol e desinfetante. Além da terceira colocação, Caroline Trevisan Weber também conquistou o Prêmio DAAD de Empreendedorismo e o Prêmio do Público.

O FWL Brazil 2020 teve a organização do Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH) São Paulo, em parceria com a instituição alemã Falling Walls Foundation (FWF), o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), o Ministério Federal das Relações Externas da Alemanha, a Euraxess Brazil e a agência Inova Unicamp.

Sobre os prêmios do FWL Brazil

O vencedor da competição, Jonas Cunha da Silva, será o representante brasileiro na fase internacional da FWL. Mariana Moraes, segunda colocada, também participará da competição mundial. Na véspera da final brasileira, a Falling Walls Foundation concedeu esse benefício também para o vice-campeão da etapa brasileira.

Graças à parceria com a Euraxess Brazil, os dois primeiros colocados do FWL Brazil contarão com apoio profissional internacional para gravar um novo vídeo pitch, com o qual disputarão a fase mundial do Falling Walls Lab. Os vídeos dos 100 participantes desta etapa serão publicados em uma plataforma on-line e, assim, divulgados e promovidos em todo o mundo pela FWF e seus parceiros. Um júri internacional de alto nível selecionará 10 finalistas para a grande final do FWL, neste ano rebatizada de categoria Emerging Talents no novo concurso Breakthroughs of the Year.

Caso um dos dois indicados brasileiros (ou ambos) participe da última fase do concurso, ele terá a possibilidade de se tornar o  Breakthrough Winner of the Year, na categoria Emerging Talents.

Prêmio DAAD de Empreendedorismo

Como vencedora do Prêmio DAAD de Empreendedorismo , Caroline Trevisan Weber participará da Innovation Week 2020, um programa sobre inovação e empreendedorismo aplicado por universidades alemãs sob a supervisão do DAAD.

No programa, Weber terá treinamentos de pitch on-line e aulas sobre como prototipar e criar um plano de negócios para sua ideia, bem como estreitar seu networking com os demais participantes da Innovation Week 2020. Caso se destaque no programa, poderá ser convidada a participar presencialmente na Alemanha da edição Innovation Week 2021.