Participe do Falling Walls Lab: sua ideia pode transformar-se em negócio

O Falling Walls Lab 2019, competição para jovens inovadores de todas as áreas do conhecimento, está com inscrições abertas no Brasil até o dia 31 de julho. Os vencedores, de cada uma das duas etapas brasileiras (Belo Horizonte e Fortaleza), além de ganharem uma viagem para apresentar seus projetos em Berlim com direito a visitas técnicas, conquistam visibilidade e participam de uma rede de networking para impulsionar seus projetos para o mundo. Brasileiros que venceram em edições anteriores deixam suas dicas, fórmulas de sucesso e impressões sobre a competição.

O concurso Falling Walls Lab, uma iniciativa da Falling Walls Foundation, instituição alemã sem fins lucrativos que promove discussões sobre pesquisa e inovação, surge como uma oportunidade para jovens inovadores impulsionarem seus projetos para o mundo, conquistando visibilidade, além da chance de poder transformar suas ideias em negócio. No Brasil, o concurso, que é promovido pelo Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH São Paulo), está com inscrições abertas até o dia 31 de julho.

Para a edição deste ano, o Falling Walls Lab conta com duas etapas brasileiras classificatórias: uma em Fortaleza, no dia 20 de setembro, e a outra em Belo Horizonte, no dia 23 de setembro. Os autores das ideias com potencial mais transformador, que vencerem cada uma das etapas, ganharão uma viagem para concorrer na etapa mundial do concurso e participar da Falling Walls Conference, que acontecem em Berlim, na Alemanha, nos dias 8 e 9 de novembro, respectivamente. O programa de viagem será complementado com outras atividades, como visitas a instituições de pesquisa em Berlim e mais um destino na União Europeia.

Participando do Falling Walls Lab 2019

Estudantes, pesquisadores, profissionais e empreendedores dos diversos campos do conhecimento e atuação têm até 31 de julho para se inscrever nas etapas classificatórias no Brasil do Falling Walls Lab. 

Para participar basta ter uma ideia, uma pesquisa, uma proposta de inovação ou um projeto de empreendedorismo, com potencial de relevante transformação, submetendo  on-line https://www.falling-walls.com/lab/apply  (opções South America – Belo Horizonte ou Fortaleza).

Dentre os inscritos, 15 a 20 serão selecionados para cada etapa nacional (Fortaleza e Belo Horizonte). Cada candidato terá três minutos para fazer sua apresentação, em inglês, mostrando a relevância e o poder de transformação de sua proposta para um júri composto por especialistas da academia, da imprensa e do ecossistema de inovação – formato que se repetirá na etapa mundial do concurso.
 Mais informações sobre o concurso, as apresentações e benefícios, clique aqui!

A ideia que virou negócio: exemplo de sucesso brasileiro direto do Falling Walls Lab

“Pensar grande e mostrar que o projeto tem potencial mundial e não apenas local, além de realizar uma apresentação com entusiasmo, são as minhas dicas para os próximos concorrentes”, comenta José Augusto Stuchi, vencedor da etapa brasileira em 2016, que apresentou um equipamento portátil, acoplado ao smartphone, para realizar exames oftalmológicos e que vê sua ideia ganhando o mercado.

Ao vencer a etapa brasileira, Stuchi viajou para Alemanha para apresentar sua proposta. Não ganhou a etapa mundial, mas trouxe na bagagem uma experiência única com direito a muito networking. “Depois do concurso tivemos uma grande projeção nacional, abrindo portas em diversos hospitais e dando visibilidade na mídia. Apesar de não termos um produto pronto na época, foi o ponta pé inicial para a Phelcom dar os próximos passos para finalização do protótipo e início das certificações do produto. A viagem para a Alemanha foi de grande aprendizado. Poder falar para uma banca tão qualificada foi um grande amadurecimento profissional”, conta.

Após três anos, a ideia de Stuchi, juntamente com outros dois colegas, recebeu o nome de Eyer e se transformou em um negócio. Criado pela Phelcom Technologies, o Eyer, um aparelho portátil ligado a um smartphone, faz imagens precisas da retina, permitindo detectar doenças a um custo bem mais baixo do que os métodos convencionais. Além disso, tem a vantagem de possibilitar o diagnóstico por telemedicina, a quilômetros de um médico oftalmologista. “Atualmente, estamos produzindo 30 unidades do Eyer por mês, número que deve chegar a 100 até o fim do ano”, complementa Stuchi.

 

Casos de sucesso: brasileiros que venceram o Falling Walls Lab em 2018 – dicas, fórmulas de sucesso e impressões

 engenheiro e empreendedor Marcus Lima levou o primeiro lugar no Brasil em 2018 com o eyeTalk, um aplicativo destinado a pessoas que não conseguem se comunicar verbalmente e por gestos, mas só pelo olhar e pelas expressões faciais.

Cada oportunidade é uma porta que pode te levar adiante para alcançar seu objetivo final. Se você não abrir a porta, nunca saberá o que está do outro lado." Veja a apresentação do Marcus aqui!
Marcus Lima, ganhador do Falling Walls Lab Brazil em 2018
  • Dicas para os próximos concorrentes
    Defina muito bem a mensagem que quer transmitir e a comunique da melhor maneira possível. Se você for competitivo, como eu (risos), não basta apenas ter uma apresentação muito boa, é necessário também apresentar bons resultados na aplicação da tecnologia.
  • Quais os resultados que o Falling Walls trouxe para sua carreira, projeto e vida pessoal?
    Em primeiro lugar, trouxe muitos colegas de diferentes partes do mundo e, em segundo, possibilitou conhecer pessoas importantes no aspecto empresarial e da ciência.
  • Por que participar do Falling Walls Lab?
    Esta é uma oportunidade única e você não tem nada a perder, ou melhor, só tem a ganhar! Por mais que você não se saia bem na etapa Brasil, é uma grande oportunidade para conhecer novas pessoas e aprender um pouco com os outros competidores.

Já a Renata Pereira, cirurgiã-dentista, segunda colocada em 2018, apresentou um adesivo a base de grafeno para evitar cáries secundárias na interface entre reparações e dentes.

 “A Alemanha é um país incrível, que valoriza muito o campo científico e está de portas abertas para pesquisadores motivados e com boas ideias.” Confira aqui a performance da Renata!
Renata Pereira
  • Dicas para os próximos concorrentes  
    Uma sugestão importante é treinar a apresentação em inglês. Acredito que toda pesquisa tem sua relevância na sociedade, mas a forma com a qual o concorrente expõe sua ideia é o diferencial para que o júri possa se convencer.
  •  Quais os resultados que o Falling Walls trouxe para sua carreira, projeto e vida pessoal?
    Após a minha participação, matérias envolvendo meu nome foram publicadas na imprensa, o que me trouxe certo prestígio profissional. Até mesmo colegas que não conheciam meu trabalho me parabenizavam pelos corredores da faculdade. Esse reconhecimento foi bem bacana! Em relação à carreira, a participação na etapa final do FW permitiu-me visitar instituições de pesquisa fantásticos nos arredores de Berlim. Em outubro deste ano, planejo voltar à Alemanha para fazer um estágio de nove meses no IFAM (Fraunhofer Institute for Manufacturing Technology and Advanced Materials), em Bremen, através de uma bolsa da Capes de doutorado sanduíche (Programa Probral). Posso afirmar que certamente o Falling Walls me permitiu fazer vários contatos e conhecer uma “Alemanha científica”, que está de portas abertas para receber pesquisadores motivados. Não descarto a possibilidade de fazer minha carreira na Alemanha, se surgirem novas oportunidades. 
  • Por que participar do Falling Walls Lab?             
    Além de possibilitar o aumento da rede de contatos e o surgimento de oportunidades na área profissional/acadêmica, conhecer o ambiente proporcionado pelo FW foi muito enriquecedor. O espírito do concurso é de união. Os finalistas torcem uns pelos outros e, principalmente, se motivam a continuar tentando quebrar barreiras. Conhecer tantos trabalhos incríveis realizados mundo afora é uma oportunidade única.

 

Falling Walls Lab Belo Horizonte
Em Belo Horizonte,  o concurso está sendo promovido pelo Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH São Paulo), em parceria com o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), EURAXESS Brazil, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) do Estado de Minas Gerais, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e a editora científica Springer Nature.

Inscrições até 31 de julho pelo link: https://www.falling-walls.com/lab/apply  (opção South America – Belo Horizonte)

Veja aqui o folder do Falling Walls Lab Belo Horizonte

Falling Walls Lab Fortaleza        
Em Fortaleza, o concurso está sendo organizado pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) em conjunto com o Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH São Paulo), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Universidade Estadual do Ceará (UECE), EURAXESS Brazil,  a Universidade de Fortaleza (Unifor),  a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Ceará (CCIBAC) e a Casa de Cultura Alemã (CCA).

Inscrições até 31 de julho pelo link: https://www.falling-walls.com/lab/apply  (opção South America – Fortaleza)
Veja aqui o folder do Falling Walls Lab Fortaleza