Fraunhofer IVV apresenta novas tecnologias para o setor de alimentos

© Fraunhofer

Novas formas de potencializar as proteínas vegetais, métodos aprimorados para desidratação de frutas e ingredientes de soja hipoalergênicos foram apenas algumas das inovações tecnológicas apresentadas no workshop “Bioeconomy: Projects and new Technologies for the Food Industry”. O evento, ocorrido no dia 27 de maio de 2019, foi realizado em Campinas pelo Instituto Fraunhofer IVV em parceria com o ITAL e reuniu cerca de 60 participantes da indústria e instituições de pesquisa.

O objetivo do workshop foi incentivar a aproximação da pesquisa aplicada junto ao setor produtivo, bem como promover a cooperação técnica e científica entre Brasil e Alemanha, antecipando-se às principais demandas do mercado por intermédio da introdução de novidades tecnológicas, de processos e produtos ligados diretamente às áreas de alimentos e embalagens. Para isso, o evento contou com apresentações do Fraunhofer IVV (Instituto Fraunhofer de Engenharia de Processos e Embalagens), ITAL (Instituto Tecnológico de Alimentos), IAC (Instituto Agronômico) e do NIT-APTA (Núcleo de Inovação Tecnológica da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios).

Tecnologia: ingredientes de soja hipoalergênicos
Dentre as tecnologias apresentadas no evento,  a Dra. Isabel Murany, pesquisadora do departamento de desenvolvimento de processos alimentícios do IVV, apresentou um novo ingrediente de soja com potencial de alergicidade reduzido – procedimento fermentativo e enzimático que foi capaz de reduzir em 60% o poder alergênico da soja, além de melhorar as propriedades técnicas, funcionais e sensoriais do produto final.

Inédito: desidratação de frutas
Em sua palestra, Peter Eisner, vice-diretor do IVV, também apresentou o processo de desidratação de frutas ainda inédito no mundo. Trata-se de uma técnica por micro-ondas em vácuo para a fabricação de produtos inovadores crocantes e saborosos a partir de blends de frutas. Esse, por sua vez, pode ser aplicado não só a frutas, mas também a vegetais, possibilitando também a desidratação de frutas e extratos combinados. Desta forma, uma vasta gama de ideias criativas de produtos pode ser alcançada. O novo método possui diversas aplicações, dentre elas em cereais matinais e barra de cereais, assim como doces e coberturas, ou até mesmo em natura como snacks saudável.

Uma parceria de sucesso
Durante o evento, tanto o IVV quanto ITAL, ressaltaram a importância da parceria teuto-brasileira entre as duas instituições, cooperação de mais de oito anos. Como apontou Luis Madi, diretor de relações institucionais do ITAL, o Brasil é considerado uma grande potência na produção de produtos agrícolas, é um país com enorme potencial na produção de alimentos. Só em 2017, exportou cerca de 55 milhões de toneladas de alimentos, sendo 50 milhões de semiprocessados e 5 milhões de industrializados. “Nós ouvimos muito dizer que o Brasil é o celeiro do mundo, mas por que não ser o supermercado do mundo?”, reflete Madi.  “Com uma cadeia de produção bem organizada, o país necessita manter o foco em inovação, sobretudo tecnológica, e é o que essa colaboração entre ITAL e Fraunhofer IVV se propõe a fazer”.

Rotas de Alternativas para indústria
Outro fator importante apontado pelos palestrantes do evento está no crescimento da demanda mundial por proteínas, devido ao crescimento populacional. “A demanda mundial por proteínas está crescendo, e é cada vez mais necessário buscar novas fontes. As proteínas vegetais são uma alternativa econômica e versátil para a substituição das proteínas de origem animal. Se não para diminuir, para pelo menos fazer um balanceamento”, explica a Dra. Mitie, pesquisadora do Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolate do ITAL.

A pesquisadora apontou que a produção de proteínas vegetais costuma ter um resultado ambiental extremamente positivo, pois utiliza menor área de cultivo, bem como menor consumo de energia e água. Seguindo essa linha, a Dra. Mitie também mencionou um projeto do Fraunhofer IVV e ITAL, finalizado este ano, o qual tratou de aprimorar as propriedades funcionais da farinha de Girassol.

O público do evento também pode degustar alguns dos produtos gerados da importante parceria entre Fraunhofer IVV e ITAL, e de outros parceiros como o IAC e as empresas Life e Co e Alibra.