Chamada emergencial da União Europeia para diagnóstico do coronavírus

© Confap

Aberta à participação internacional, as propostas podem ser submetidas até o dia 31 de março de 2020. Seu objetivo não é o desenvolvimento de uma vacina, nem aspectos epidemiológicos, mas identificar novos agentes terapêuticos e sistemas de diagnóstico precoces, eficazes e confiáveis relacionados ao novo coronavírus (SAR-CoV-2).

Intitulada “Development of therapeutics and diagnostics combatting coronavirus infections”, a chamada, lançada pela Innovative Medicines Initiative (IMI) em conjunto com a União Europeia, representada pela European Commission e pela European Federation of Pharmaceutical Industries and Associations (EFPIA), em caráter emergencial, recebe propostas até o dia 31 de março de 2020.

A chamada está aberta à participação internacional, seguindo as regras de elegibilidade do Horizon 2020. As instituições brasileiras interessadas em associar-se são convidadas pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) a manifestar interesse no co-financiamento. Saiba mais aqui.

  • Objetivo e foco da chamada

Seu objetivo primordial é identificar novos agentes terapêuticos e sistemas de diagnóstico precoces, eficazes e confiáveis relacionados ao novo coronavírus (SAR-CoV-2). Desta forma, essa oportunidade pretende apoiar colaborações para acelerar o desenvolvimento de terapias e diagnósticos para enfrentar os surtos atuais e futuros. Para evitar duplicação de outras iniciativas e devido a vários anúncios recentes sobre novos desenvolvimentos da vacina contra o coronavírus, as vacinas preventivas são especificamente excluídas do escopo dessa chamada.

  • De olho nas propostas – amplo escopo

A ideia é incentivar propostas de estágio único e acelerado para uma melhor compreensão do vírus, especialmente em relação a possíveis medidas clínicas e de saúde pública que podem ser usadas imediatamente para melhorar a saúde dos pacientes e / ou conter a disseminação do COVID-19.

Considerando que este é um vírus recém-identificado, o escopo deste tópico permanece amplo e deve abordar pelo menos um dos seguintes objetivos:

– desenvolvimento de antivirais, bem como outros tipos de agentes terapêuticos para tratar de forma rápida o atual surto de COVID-19;

– desenvolvimento de terapias para suportar os surtos atuais e/ou futuros de coronavírus;

– desenvolvimento de diagnósticos, garantindo avaliação rápida dos pacientes com tecnologias existentes;

– desenvolvimento de métodos rápidos e confiáveis para ajudar na identificação de infectados e de pacientes sintomáticos suspeitos de infecção por COVID-19.

 

  • 45 milhões de euros do IMI para diagnósticos de coronavírus

As propostas serão avaliadas pelo lado Europeu até 15 de abril 2020, e é aberta à participação de instituições/pesquisadores brasileiros, com co-financiamento.

A chamada tem orçamento, pelo lado Europeu, de 45 milhões de euros. Pelo lado brasileiro, o orçamento é definido por cada Fundação Estadual de Amparo à Pesquisa (FAP) que pretende apoiar a chamada.

Os projetos de pesquisa devem ser apresentados por um coordenador europeu ou de país associado ao Horizon 2020  (seguindo as diretrizes da chamada), envolvendo entidades baseadas em pelo menos três países da União Europeia, ou de países associados.

As Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) interessadas, e que aderirem à chamada, deverão divulgar aos seus pesquisadores a disponibilidade de recursos para submissão de propostas.

 

Mais informações:

  • Sobre a chamada “Development of therapeutics and diagnostics combatting coronavirus infections” (Clique aqui!)
  • Informações sobre a busca de parceiros (Clique aqui!)
  • Perguntas e respostas sobre a chamada – FAQ (Clique aqui!)